O capitão da selecção portuguesa, Cristiano Ronaldo, disse esta sexta-feira à noite querer “surpreender as pessoas”, não descartando a possibilidade de se tornar treinador depois de terminar a carreira enquanto futebolista.

“Não o excluo”, respondeu Cristiano Ronaldo, quando questionado sobre a hipótese de treinar depois de pendurar as botas, em declarações ao jornal espanhol El Pais.

Vencedor de cinco bolas de ouro, Ronaldo aproveitou também para falar da sua visão do futebol e da sua ideia sobre a pressão por que passam os jogadores de renome.

“Eu vejo o futebol como uma missão. Estar em campo, ganhar, melhorar, sinto uma pressão extra. As pessoas julgam sempre: ‘Ele já está acabado. Ele tem 33, 34 ou 35 anos e deve deixar’ [o futebol]. Mas com o risco de surpreender as pessoas, a fera ainda está viva”, rematou.

O campeão europeu falou ainda da clínica que abriu em Madrid, mostrando-se grato aos espanhóis pela maneira como o trataram.

“Os espanhóis trataram-me bem. Eu queria agradecer-lhes, dando-lhes trabalho. Eu sei que as pessoas me amam. Eles sabem que dei muito ao clube [Real Madrid] e isso também me trouxe muito. Na rua, as pessoas dizem-me para voltar para casa”, concluiu Cristiano Ronaldo, que, ao serviço do Real, conquistou duas ligas espanholas e quatro troféus da Liga dos Campeões.

O capitão da selecção portuguesa representa actualmente a Juventus, que esta sexta-feira empatou (1-1) na recepção ao Torino, tendo CR7 marcado o golo da ‘Juve’.

Publicidade