O FC Porto anunciou hoje a disponibilização o Dragão Arena, casa das suas modalidades colectivas, para hospital de campanha no combate pandemia de Covid-19.

“Poderá também funcionar como zona de descanso para o pessoal hospitalar, a quem o clube e a Prozis [empresa de produtos alimentares] vão fornecer refeições”, refere o clube, no seu sítio na Internet.

O clube portuense informou que contactou o director do Hospital de São João, no Porto, “para disponibilizar o Dragão Arena para hospital de campanha e/ou zona de descanso para o pessoal hospitalar”.

“A partir da próxima segunda-feira, em colaboração com a Prozis, patrocinadora do clube, o FC Porto também irá fornecer refeições para o pessoal hospitalar”, conclui a curta nota.

Farense disponível para ceder infraestrutruras e adquirir material hospitalar

O Sporting Clube Farense manifestou hoje a sua disponibilidade para ceder infraestruturas e adquirir material hospitalar, na sequência do estado de emergência decretado pelo Presidente da República, face à pandemia da Covid-19.

“O Sporting Clube Farense vem assim manifestar a sua total disponibilidade para colaborar com todas as entidades locais, regionais e nacionais, contribuindo para a rápida amenização do impacto cada vez mais danoso deste surto”, salientou o emblema de Faro, em comunicado.

O presidente do clube, João Barão Rodrigues, já manifestou junto do presidente da Câmara Municipal de Faro, Rogério Bacalhau, a disponibilidade para a cedência das infraestruturas do clube (pavilhão multidesportivo, ginásio, espaço sob a bancada nascente e balneários), “para qualquer necessidade tida por conveniente”.

O dirigente manifestou ainda, junto do Hospital de Faro, a disponibilidade para “a aquisição de qualquer material de apoio, auxílio ou monitorização dos pacientes infectados pelo Covid-19”.

O Sporting Clube Farense “não se esconderá nunca das suas responsabilidades, não apenas como instituição desportiva, mas como entidade zeladora dos interesses de todos os cidadãos nacionais”, sustenta o emblema algarvio, que ocupava o segundo lugar da II Liga à data da suspensão dos campeonatos profissionais de futebol.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, começou em Dezembro na China e infectou mais de 210 mil pessoas em 170 países, das quais mais de 8.750 morreram.

Os países mais afectados depois da China são a Itália, com 2.978 mortes para 35.713 casos, o Irão, com 1.135 mortes (17.350 casos), a Espanha, com 558 mortes (13.716 casos) e a França com 175 mortes (7.730 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infecção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade