O filme “O Irlandês”, do realizador Martin Scorsese, estreiou ontem na plataforma de ‘streamming’ Netflix, a par da exibição em sala em alguns países.

“O Irlandês” junta Al Pacino, Robert De Niro e Joe Pesci, e é descrito como “um épico solenemente operático” sobre crime organizado, com três horas e meia de duração, que Martin Scorsese rodou com produção da Netflix, graças a um orçamento de 159 milhões de dólares.

O filme parte de um caso real, investigado pela polícia norte-americana, sobre o desaparecimento, em 1975, de Jimmy Hoffa, líder do sindicato dos camionistas norte-americanos, tendo a autoria do crime sido atribuída a Frank Sheeran, a quem chamavam de “o irlandês”, com ligações à mafia.

A par da expectativa da estreia, por juntar aquele elenco e Martin Scorsese, “O Irlandês”, o filme, voltou a suscitar um debate sobre formas de distribuição e exibição cinematográfica, pela entrada em campo das plataformas de ‘streamming’, que permitem ao espectador ver um filme ou uma série em diferentes ecrãs e as vezes que quiser, fora da sala de cinema.

O filme teve uma primeira exibição em setembro, no Festival de Cinema de Nova Iorque, tendo depois as distribuições norte-americanas tentado, em vão, um acordo com a Netflix para exibição durante 90 dias em salas ‘multiplex’, antes da estreia em ‘streamming’.

Ainda assim, a par da estreia na plataforma, a Netflix conseguiu que o filme passe em várias salas independentes, não só nos Estados Unidos, mas também noutros territórios, como Espanha e Itália.

Segundo a revista Variety, “O Irlandês” será a maior estreia em sala entre os filmes produzidos pela Netflix, com exibição em 50 salas em Espanha, cem em Itália, cem na Coreia do Sul e 50 na Alemanha.

Em Portugal, não houve acordo com as distribuidoras para uma exibição em sala, por isso “O Irlandês” só será visto por quem subscrever o serviço da Netflix.

Em junho, em declarações à Associated Press, Martin Scorsese explicava que a Netflix foi a única produtora disposta a custear o filme, encarecido também por causa dos efeitos especiais inovadores que permitem um rejuvenescimento dos atores, por causa do arco temporal da narrativa.

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões ou sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade

Todas as notícias e conteúdos no LUX24 são e continuarão a ser disponibilizadas gratuitamente, mas nunca como agora precisamos da sua ajuda para continuar a prestar o nosso serviço público.

Somos uma asbl – associação sem fins lucrativos – e não temos qualquer apoio estatal ou institucional, apesar do serviço público que diariamente fazemos em prol da comunidade portuguesa e lusófona residente no Luxemburgo, e já sentimos o efeito da redução da publicidade, que nos garante a manutenção do nosso jornal online.

A imprensa livre não existe nem sobrevive, sem o suporte activo dos seus leitores – sobretudo em épocas como esta, quando as receitas de publicidade se reduziram abruptamente, e nós continuamos a trabalhar a 100%.

Só lhe pedimos que esteja connosco nesta hora e nos possa ajudar com o seu donativo, seja ele de que valor for. Prometemos que continuaremos a ser a sua companhia de todas as horas.

Pode fazer o seu donativo por transferência bancária para a conta do LUX24:
IBAN: LU790250045896982000
Código BIC: BMECLULL

LUX24 asbl
#VaiFicarTudoBem

Publicidade