Portugal e o Luxemburgo criaram um fundo de apoio ao desenvolvimento de longas-metragens e séries de ficção ou animação, com uma dotação de 200.000 euros, anunciou o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA).

A criação deste fundo, ao qual é possível submeter candidaturas desde 12 de julho, tem como objectivo “incentivar a co-produção entre produtores dos dois países”, que “partilham a mesma visão da criação e difusão cinematográfica e audiovisual europeia”, lê-se no protocolo.

Este “novo instrumento de cooperação” terá um período-piloto entre 2021 e 2022, com “eventual prorrogação em 2023”, com a participação do ICA e do Film Fund Luxembourg, que participam com 100.000 euros cada.

Ao fundo podem candidatar-se produtores independentes estabelecidos em Portugal e no Luxemburgo, para a co-produção de uma longa-metragem ou uma série de ficção ou de animação, com “um conteúdo cultural com potencial para interessar o público nos dois países”.

Cada projecto receberá, no máximo, 50.000 euros.

“Os dois países estão ligados por relações de cooperação e amizade particularmente intensas, também em virtude da numerosa comunidade lusófona ou de origem portuguesa estabelecida no Luxemburgo desde há décadas”, sublinham os dois institutos no protocolo.

O documento que cria este fundo luso-luxemburguês foi assinado pelos responsáveis dos dois institutos na semana passada durante o Festival de Cinema de Cannes, em França.

O calendário de apoios financeiros do ICA deste ano contempla ainda um programa de apoio à co-produção entre Portugal e França, com uma dotação total de 300.000 euros, que está actualmente na fase de análise de candidaturas.

SS // TDI

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade