Members of the band "Kalush Orchestra" (R) celebrate onstage with Ukraine's flags as (From L) Italian television presenter Alessandro Cattelan, Italian singer Laura Pausini and Lebanese-born British singer-songwriter, Mika applaud, after winning on behalf of Ukraine the Eurovision Song contest 2022 on May 14, 2022 at the Pala Alpitour venue in Turin. (Photo by Marco BERTORELLO / AFP)

O grupo musical ucraniano Kalush Orchestra, que venceu a última edição da Eurovisão, leiloou o prémio, doando 837 mil euros a uma fundação de apoio às forças armadas ucranianas.

O troféu, um grande microfone de cristal com o logótipo da Eurovisão, foi leiloado através da rede social Facebook durante a noite do sábado passado e foi comprado pela empresa especializada no comércio de Bitcoins, Whitebit.

“Um especial agradecimento à equipa Whitebit, que comprou o troféu por 900 mil dólares (aproximadamente 837 mil euros) e do qual é agora a legítima proprietária”, partilhou o grupo Kalush no Facebook, no domingo. “Vocês são incríveis”, acrescentou.

De acordo com a conta na rede social Instagram do grupo musical ucraniano, o dinheiro obtido vai ser encaminhado para a Fundação Prytula, que apoia o exército ucraniano.

“Pela primeira vez na história da Eurovisão, os vencedores estão a leiloar o troféu para ajudar o exército ucraniano”, comentou o grupo.

Kalush Orchestra venceu o concurso musical europeu a 14 de maio, com a apresentação da canção “Stefania”, que mistura hip-hop com música tradicional, sobretudo com os votos dos espectadores.

Com a invasão militar russa, o país agressor foi excluído do concurso.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou a fuga de mais de 6,6 milhões de habitantes para fora do país, de acordo com os mais recentes dados das Nações Unidas.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

BZF// PAL

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade