O documentário sobre Zé Pedro, o mítico guitarrista dos Xutos & Pontapés, vai voltar a ser exibido no Grão-Ducado, anunciou o Cineclube Português do Luxemburgo.

Zé Pedro Rock ‘n’ Roll“, documentário realizado por Diogo Varela Silva, será exibido nas salas Ciné Utopia [16, Avenue de la Faïencerie L-1510 Limpertsberg] a partir do dia 19 de maio. BILHETES AQUI.

O documentário sobre o mítico guitarrista dos Xutos é projectado no cinema Utopia de 19 a 25 de maio às 18:45.

Em novembro de 2020, o documentário foi exibido no Luxemburgo no âmbito do Festival de Cinema Português.

Dias depois, vencia o prémio de melhor longa-metragem internacional do festival norte-americano Silicon Beach Film, prémio que se juntou a outros conquistados anteriormente no Doclisboa (Portugal), no Accolade Global Film Competition e no Impact Docs Awards (ambos nos Estados Unidos), nos festivais Salto (Uruguai), Mabig (Alemanha) e no Best Istanbul Film Fest (Turquia).

DIRIGIDO POR DIOGO VARELA SILVA, “ZÉ PEDRO ROCK N’ROLL” CRUZA VÁRIOS DEPOIMENTOS DE AMIGOS, DOS IRMÃOS, DOS SOBRINHOS, DE TODOS OS ELEMENTOS DOS XUTOS & PONTAPÉS E DE MUITOS DOS MÚSICOS COM QUEM O GUITARRISTA SE CRUZOU.

São ainda recuperados excertos de entrevistas e depoimentos do músico, imagens de arquivo de concertos e ensaios dos Xutos & Pontapés, registos da vida do clube Johnny Guitar, palco e ponto de encontro em Lisboa para dezenas de músicos, e pedaços dos programas de rádio nos quais Zé Pedro participou.

Em entrevista à agência Lusa, quando da estreia do filme, em julho passado, Diogo Varela Silva disse que o documentário mostra “o porquê de o Zé Pedro ter sido o Zé Pedro, como chegou onde chegou, quais os impulsos que o levaram até onde ele foi”.

A empatia que o músico conquistou junto do público, dentro e fora dos Xutos & Pontapés, tem uma explicação para o realizador: “Tem a ver com essa coisa de [ele] nunca ter perdido esse contacto com as bandas de que gostava. Ou seja, ele percebia perfeitamente os fãs”.

JOSÉ PEDRO AMARO DOS SANTOS REIS – ZÉ PEDRO – MORREU EM 30 DE NOVEMBRO DE 2017, AOS 61 ANOS.

A relação com a música vinha desde novo, por influência do pai, e uma das memórias é uma ida ao festival Cascais Jazz, na adolescência, que é recordada no documentário.

No verão de 1977, numa viagem de comboio pela Europa, foi a um festival punk no sul de França, decisivo para a formação pessoal e para o que queria fazer de futuro, como contou no filme.

De regresso a Lisboa, mergulhado na estética punk rock, formou os Xutos & Pontapés, cujo primeiro concerto aconteceu a 13 de janeiro de 1979, nos Alunos de Apolo, em Lisboa.

No documentário são recordados os problemas de saúde, derivados dos excessos com a droga e o álcool, o transplante de fígado e a vida de palco.

Coleccionador de música, a par da vida nos Xutos & Pontapés, Zé Pedro desdobrou-se noutros projectos, com programas de rádio, a gerência e curadoria do Johnny Guitar, e entrada nos grupos Cavacos, Palma’s Gang, Maduros e Ladrões do Tempo.

Diogo Varela Silva é autor de outros documentários como “Celeste” (2015) e “Fado da Bia” (2012).

ND // ND

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco.
Publicidade