Membros da central sindical OGBL e do partido Déi Lénk - FOTO © OGBL

A central sindical OGBL e o partido déi Lénk (A Esquerda) decidiram reforçar a sua cooperação na luta pela defesa das conquistas sociais dos trabalhadores e reformados, e nomeadamente a indexação automática dos salários (o chamado “index”).

Uma delegação da OGBL, liderada pela sua presidente Nora Back, avistou-se com as duas deputadas do déi Lénk bem como com os porta-vozes do partido no dia 6 de maio de 2022. A troca de opiniões focou-se principalmente nas intenções do Governo de manipular massivamente o index. As medidas que o Executivo apelida de “Pacote de Solidariedade”, que supostamente servem para dissimular o ataque perpetrado contra o poder de compra dos trabalhadores e reformados, foi igualmente outros dos assuntos da reunião.

Nem para a OGBL nem para o déi Lénk esta manipulação do index é aceitável. O index é a única verdadeira ferramenta que consegue ajustar salários e pensões ao custo da vida real.

Além disso, esta manipulação ocorre numa altura em que a inflação está no seu nível mais elevado desde há décadas. A subida em flecha dos preços – preços da energia em particular, mas também dos géneros alimentícios – está a conduzir a situações em que cada vez mais trabalhadores e pensionistas têm dificuldade em conseguir pagar as suas contas, bem como fazer chegar o dinheiro do salário até ao fim do mês.

Esta manipulação é também um golpe adicional contra os mais jovens, que já tinham sido bastante afetados com a pandemia de Covid. As indemnizações que os jovens recebem aquando de uma aprendizagem profissional (inserção no meio profissional através do estatuto de aprendiz, “apprenti”) e as remunerações mínimas de estágio que alunos e estudantes auferem são indexados e vão assim, portanto, perder em valor. Ao mesmo tempo, os aprendizes e estagiários não receberão qualquer compensação por essa perda.

A desinformação sobre o index tem-se intensificado nos últimos meses. O index nunca foi uma alavanca para a política social. Trata-se, portanto, também de lutar contra esta desinformação. Por esse motivo, a criação de alianças mais amplas com a sociedade civil torna-se indispensável, concordam a OGBL e o partido déi Lénk.

>> A OGBL informa e explica. A OGBL é a n°1 na defesa dos direitos e dos interesses dos trabalhadores e dos reformados portugueses e lusófonos. Para qualquer questão, contacte o nosso Serviço Informação, Aconselhamento e Assistência (SICA), através do tel. 26 54 37 77 (8h-12h / 13h-17h, de segunda a sexta-feira). Para mais informações: www.ogbl.lu / Para se tornar membro: hello.ogbl.lu

Publicidade
Falhas, erros, imprecisões, sugestões?
Por favor fale connosco via email para geral@lux24.lu.
Siga o LUX24 nas redes sociais. Use a #LUX24 nas suas publicações.
Faça download gratuito da nossa ‘app’ na Google Play ou na App Store.
Publicidade
Publicidade