Cristiano Ronaldo celebra após um dos quatro golos marcados frente à Lituânia, 10.09.2019 – FOTO: ANTONIO COTRIM/LUSA

Cristiano Ronaldo somou ontem à noite em Vilnius, face à Lituânia, o segundo ‘póquer’ ao serviço da seleção portuguesa de futebol, elevando a sua contagem pessoal para 93, a escassos sete da ‘impensável’ centena.

O jogador da Juventus, de 34 anos, facturou aos sete minutos, de grande penalidade, aos 62, a meias com um ‘frango’ do guarda-redes Setkus, e aos 65 e 76, em ambas as ocasiões após preciosas assistências de Bernardo Silva.

Desta forma, o ‘capitão’ da formação das ‘quinas’ replicou o que havia feito em 07 de outubro de 2016, em Aveiro, onde marcou quatro golos a Andorra, numa goleada por 6-0, em jogo de apuramento para o Mundial de 2018.

Além dos dois jogos com quatro golos, Ronaldo soma ainda seis ‘hat-tricks’, destacando-se os conseguidos face à Espanha, na fase final do Mundial de 2018, e à Suíça, nas meias-finais da Liga das Nações de 2019, sem esquecer o obtido na Suécia, no ‘play-off’ para o Mundial de 2014.

O ‘7’ luso, que conta ainda 14 ‘bis’ e 39 jogos com um tento marcado, reforçou o estatuto de segundo melhor marcador mundial de seleções, colocando-se a ‘escassos’ 16 golos do iraniano Ali Daei, que acabou a carreira com 109.

Um adepto da Lituânia invadiu o terreno de jogo para cumprimentar Cristiano Ronaldo, durante o jogo contra a Lituânia, 10.09.2019 – FOTO: ANTONIO COTRIM/LUSA

No que respeita apenas a seleções europeias, Cristiano Ronaldo já deixou muito para trás os históricos Ferenc Puskas, que marcou 84, entre Hungria e Espanha, e o magiar Sándor Kocsis, autor de 75.

Apenas em qualificação para europeus, o jogador formado no Sporting ascendeu à liderança da tabela, ao passar a somar 25 golos, contra 23 do irlandês Robbie Keane.

 

Cristiano Ronaldo “muito feliz” pelo “bom momento” da seleção

 

Cristiano Ronaldo mostrou-se “muito feliz” pelo “bom momento” da seleção portuguesa, num dia em que contribuiu com quatro golos para a goleada na Lituânia (5-1), na corrida ao Euro2020.

“Para mim, é um orgulho representar a seleção. Estamos a passar por um bom momento, eu estou a passar por um bom momento, a equipa esteve bastante bem hoje, como esteve também frente à Sérvia”, disse o ‘capitão’ da seleção lusa.

O jogador da Juventus conseguiu o seu segundo ‘póquer’ por Portugal, com golos aos sete 62, 65 e 68 minutos, o primeiro de grande penalidade, passando a contar 93 pela principal seleção das ‘quinas’, que já representou 160 vezes.

O seleccionador Fernando Santos e Cristiano Ronaldo – FOTO: LUSA/Arquivo

“Desfrutar deste momento, não só por ter marcado os golos, mas por ver o nível que a equipa tem demonstrado nos últimos anos. Estou muito feliz por isso”, frisou Ronaldo, que, no sábado, já tinha faturado, uma vez, no 4-2 na Sérvia.

Segundo o avançado luso, de 34 anos, Portugal já fez o mais difícil, com duas vitórias nesta jornada dupla, depois de ter começado a qualificação da pior forma, com empates caseiros face à Ucrânia, a zero, e à Sérvia, a um golo.

“Acho que o mais difícil foi feito, que era ganhar na Sérvia. Hoje, também, por isso estamos mais perto [do apuramento]. Se ganharmos mais um dos jogos [que faltam] já é suficiente”, afirmou o ‘7’ luso, que acabou substituído aos 79 minutos.

Ronaldo, que já eleito por cinco vezes o melhor jogador do mundo, é candidato, mais uma vez ao ‘The Best’ da FIFA, mas deixou claro que os prémios individuais não são o mais importante.

“Como digo sempre, não vivo o futebol pensando nos prémios individuais, mas obviamente que isso é uma consequência daquilo que ganhamos coletivamente. É bom, não vou mentir, mas não penso nisso. O importante era ajudar a seleção. Estou muito feliz e o que mais quero é continuar assim”, finalizou.

Publicidade