Dany Mota celebra após marcar contra Gibraltar na estreia com a camisola das ‘quinas’, 05.09.2019. FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA

A estreia do avançado luso-luxemburguês da Juventus, Dany Mota, pela seleção portuguesa de futebol não deixou ninguém indiferente.

Esta quinta-feira à noite, Portugal bateu Gibraltar, por 4-0, no arranque do grupo 7 da fase de qualificação para o Campeonato da Europa da categoria, disputado em Alverca.

Na partida, Dany Mota bisou, marcando dois golos (13’ e 60’), fez uma assistência para o golo de João Queirós, aos 66 minutos, e ainda enviou uma bola ao poste, já nos descontos. À beira do intervalo ainda falhou uma grande penalidade.

Dany Mota, jogador da equipa Sub23 da Juventus e formado no Titus Pétange do Luxemburgo, foi com unanimidade o homem do jogo na sua estreia de “quinas” ao peito.

“Foi um sonho tornado realidade e agora é continuar a trabalhar”, disse, ao LUX24, Dany Mota, no final do encontro.

Visivelmente emocionado e satisfeito com o desempenho pessoal e colectivo da seleção, o avançado considerou que a sua estreia não poderia ter corrido melhor.

“Dois golos, uma assistência e três pontos [para a seleção]. Acho que melhor não há”, referiu o jogador ao nosso jornal online.

Dany Mota celebra após marcar contra Gibraltar na estreia com a camisola das ‘quinas’, 05.09.2019. FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA

Muitas vezes associado ao azar, o número 13 acabou por ser de sorte para Dany Mota, pois foram precisos apenas 13 minutos para que o avançado, em dia de estreia, assinasse o primeiro golo pela seleção nacional portuguesa.

“Considero que sim [que o 13 aqui acabou por significar sorte]. Senti muita emoção ao marcar o golo e, como já referi, foi ver mais um sonho meu a ser concretizado”, rematou, ao LUX24, o avançado de 21 anos.

Dany Mota foi a principal referência do ataque português e, por isso, no final da partida, o selecionador Rui Jorge teceu rasgados elogios à actuação do jovem luso-luxemburguês.

“Tem boa técnica, velocidade, foram essas as características que nos levaram a apostar nele. Tem características diferentes. Tem características não muito usuais nos nossos avançados, mas acredito que nos pode ajudar muito”, disse Rui Jorge.

A seleção portuguesa de Sub21 volta a entrar em campo num jogo mais complicado, na próxima terça-feira, na Bielorrússia.

Publicidade