Carlos Silva e Rita Rita Antunes, o casal de Pousios, Pombal, Leiria, falecido em acidente na A10, em França, 18.08.2019 / Facebook

O menino de 15 meses – Rafael – que domingo sobreviveu ao acidente que vitimou os pais portugueses em França continua internado no Hospital de Tours, mas deverá regressar à família em Portugal “nos próximos dias”.

As duas vítimas mortais – Carlos Silva e a esposa Rita Antunes – eram naturais Pousios, Pombal, (Leiria) e residentes na comuna de Lasauvage, no sul do Luxemburgo.

“É possível confirmar que a criança se encontra bem e que será transferida para cuidados que exigem menor preocupação e, nos próximos dias, tudo indica que poderá regressar à sua família”, disse esta segunda-feira, à Lusa, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

O governante acrescentou que os serviços consulares estão agora “a apoiar os contactos entre a família e as autoridades francesas, tendo em vista garantir o bom acolhimento e a tutela” quando o menor regressar à sua família.

Os jovens portugueses, Carlos Silva e Rita Antunes, de 34 e 32 anos, morreram no domingo num acidente de viação, em França, quando regressavam ao Luxemburgo, onde vivam, após terem estado em Portugal. Eram de Pousios, Pombal, distrito de Leiria. O filho do casal, Rafael, de 15 meses, que seguia no mesmo veículo, sobreviveu ao acidente que ocorreu na estrada A10, junto a Blois, na região de Loir-et-Cher.

A criança está internada no Hospital de Clocheville de Tours, não tendo sofrido sequelas físicas do acidente e está a ser acompanhada de perto pelos serviços consulares de Portugal em Paris e pelo cônsul honorário de Portugal em Tours.

Carlos Silva com o filho Rafael / Facebook

Quanto aos corpos dos pais, originários de Pombal, no distrito de Leiria, devem ser entregues esta terça-feira à família, adiantou o governante.

“Tudo indica que amanhã [terça-feira] serão entregues os corpos à família, tendo em vista a transladação para Portugal, para a família poder realizar o luto e os respectivos funerais”, afirmou o secretário de Estado, notando que a família não pediu qualquer ajuda financeira para o processo de transladação.

Segundo José Luís Carneiro, a família pede agora “que a comunicação social procure garantir reserva e privacidade para realizarem o luto”.

Além dos serviços consulares em França, o secretário de Estado diz que em Portugal a família do casal está também a receber apoio social e psicológico por parte da Câmara Municipal de Pombal.

Quanto ao apuramento das circunstância do acidente rodoviário que vitimou o casal e também deixou feridas com gravidade mais duas pessoas, o governante considerou que “é normal” a abertura de um inquérito pelas autoridades francesas.

LUX24 c/ LUSA

Publicidade