Robert Smith, dos The Cure, no NOS Alive. FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA

O Passeio Marítimo de Algés, Oeiras, acolhe, desde ontem e até sábado, mais de uma centena de espectáculos, repartidos por sete palcos, na 13.ª edição do festival Alive, cujo cartaz inclui The Cure, Vampire Weekend e The Smashing Pumpkins.

Esta quinta-feira, primeiro dia de festival, passaram pelo palco principal, os portugueses Linda Martini, os norte-americanos Weezer, os portugueses Ornatos Violeta e os britânicos Mogwai e The Cure.

No palco secundário, estreia em festivais lusos para Loyle Carner, “o novo prodígio do hip hop britânico” , e Jorja Smith, “um dos nomes mais estimulantes dos últimos tempos do R & B”, também britânica.

Por este palco passaram ainda os portugueses Y.Azz X B-Mywingz, a dupla britância Honne, a norte-americana Sharon Van Etter, o australiano Xavier Rudd, a sueca Robyn e os britânicos Hot Chip.

O palco Clubbing recebeu Funkamente, Jaguar Jaguar, Samm Henshaw, Kojey Radical, Emicida, Stereossauro, que teve como convidados especiais Camané, Chullage e Nerve, e Maribou State.

Manel Cruz / Ornatos Violeta / NOS Alive 2019. FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA

No Coreto, com curadoria da Arruada, actuaram apenas artistas portugueses, de vários géneros musicais: Jasmim, Sunflowers, Ricardo Toscano, Solar Corona e Vaarweel.

Ontem, o Fado Café recebeu Camané, Tiago Nacarato e a banda Variações, criada no âmbito do filme de tributo a António Variações, e que junta o actor Sérgio Praia aos músicos Duarte Cabaça, David Santos, Vasco Duarte e Armando Teixeira, responsável pela banda sonora da longa-metragem, que chega aos cinemas a 22 de agosto.

No festival há também um palco dedicado ao humor, o Comédia, por onde ontem passaram Joana Ramos, Roda Bota Fora, Miguel 7 Estacas, Jel, Carlos Coutinho Vilhena e Fernando Rocha. No palco, que foi transformado numa instalação de arte por Odeith, houve pintura ao vivo. Uma parede, com cerca de 30 metros, foi pintada ao vivo por Odeith e quatro artistas do graffiti, todos portugueses, escolhidos por ele: Rote, Fyre, Vile e Stephan.

No palco montado no pórtico de entrada houve Nassurra, The Rockets e Ivo.

NOS Alive 2019. FOTO: MÁRIO CRUZ/LUSA

A organização aconselha o uso de transportes públicos para chegada e saída do recinto. “Durante a madrugada dos dias do festival a CP vai alargar os horários da Linha de Cascais, através dos comboios especiais que partem de Algés, circulando comboios entre Algés e o Cais Sodré, entre as 02:15 e as 05:15, e entre Algés e Cascais, entre as 02:15 e as 04:30.

Entre as 00:30 e as 05:00 irão circular três carreira do serviço noturno especial da Carris: a J, entre o festival e o Cais Sodre, a K, entre o festival e o Marquês de Pombal, e a L entre o festival e a Estação do Oriente.

Publicidade