Miguel Torres, Software Developer e Gestor de Dados, escreve semanalmente às sextas no LUX24.

(*Nota introdutória: título baseado numa música cantada por um adepto da Liga dos Últimos)

A seleção inglesa está a participar na fase final da Liga das Nações e os seus adeptos já trataram de mostrar como é a sua relação com o álcool e de dar uma bela imagem do povo deste país.

A verdade é que a imagem é errada. O que um grupo de energúmenos faz quando se desloca ao exterior não é o que a maioria dos habitantes faria.

As pessoas, como em todo o lado do mundo à excepção das bancadas por detrás da baliza, evitam a violência e tentam ter uma vida mais pacata.

Há, no entanto um problema mais abrangente por detrás disto. A forma como o álcool é visto e, sobretudo, a forma como este é bebido.

Em Inglaterra, beber álcool apenas para saborear o vinho ou a cerveja não será a prioridade. A prioridade será atingir um estado inebriado com alguma rapidez.

Daí que as cervejas mais comuns não sejam as minis mas as pintas. Uma pinta, medida do sistema imperial, são 0,473176 litros e é comum numa saída à noite beberem-se umas 5 ou 6, ou seja, emborcar quase 3 litros de cerveja. Se há coisa difícil de acontecer é a falta de líquidos.

Não é que exista um orgulho de se ficar bêbado, mas também não existe uma certa vergonha como acontece em Portugal.

Em Portugal tem muito mais pinta falar de vinhos e dizer umas metáforas enquanto se fala deles do tipo este sabe a madeira do bosque com um aroma de pastos nepaleses e uma cor de sangue de urubu.

Com tanto álcool no sangue, os ingleses acabam por ser até muito mais conscientes ao volante, e como uma pinta é o máximo que um adulto normal pode beber para estar dentro dos limites para conduzir, quando eles bebem mais do que isso não põem mais o rabo no assento do lado direito do carro durante essa noite, ao contrário da sabedoria tuga que acha que pode conduzir no único dia do ano em que bebe três litros de cerveja.

Police officers arrest a soccer fan at Aliados Square in Porto during the UEFA Nations League semi final soccer match between Netherlands and England, at D. Afonso Henriques stadium, Guimaraes, Portugal, 06 June 2019. RUI FARINHA/LUSA

Por isso, geralmente as tragédias provocadas pelo álcool não são tão comuns. Lembro-me que aqui há uns anos um soldado que saiu à noite em Cambridge, nunca mais apareceu e pensa-se que terá entrado num contentor do lixo para dormir e este foi despejado nesse dia num camião com aquelas prensas que esmagam tudo. Mas é um caso pontual, não acontece todos os dias.

Acabam por acontecer só momentos engraçados ou irritantes, com pessoas quase nuas a andar pela rua fora com 10 graus negativos ou berros histéricos no comboio às oito da manhã, quando começaram a beber desde que acordaram às seis.

Por isso, violência no futebol é por um lado uma consequência desta cultura, mas também uma excepção ao que geralmente acontece quando se bebe demasiado.

Publicidade