Dom Virgílio Antunes e o Papa Francisco – FOTO: Virgílio Antunes / Facebook

O Bispo de Coimbra, Dom Virgílio Antunes, vai este ano presidir às cerimónias da 52ª peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Wiltz, no norte do Luxemburgo, no próximo dia 30 de maio, quinta-feira de Ascenção.

Ao que o LUX24 apurou, Dom Virgílio Antunes é este ano o membro da igreja católica portuguesa presente em Wiltz e na companhia do arcebispo do Luxemburgo, Jean-Claude Hollerich, presidirá às cerimónias.

Virgílio do Nascimento Antunes, de 57 anos, é um bispo católico português, actualmente Bispo da Diocese de Coimbra e por inerência 30.º Conde de Arganil de juro e herdade.

Em 25 de Setembro de 2008 assumiu o cargo de reitor do Santuário de Fátima, cargo que ocupou até 2011. É bispo de Coimbra desde 10 de Julho de 2011.

Especializado em ciências bíblicas, em Roma e em Jerusalém, Dom Virgílio Antunes virá pela primeira vez ‘viver’ o ambiente de Fátima, no Luxemburgo.

“Todos os anos o senhor bispo do Luxemburgo, Jean Claude Hollerich, convida um bispo de língua portuguesa a Wiltz. Este ano convidou o senhor bispo de Coimbra D. Virgílio do Nascimento Antunes a marcar presença. Com certeza ele gostará de encontrar os seus diocesanos de Coimbra, residentes no Luxemburgo, e de estar com todos os portugueses. Em princípio no dia anterior, na véspera de Wiltz, D. Virgílio irá presidir à Eucaristia na Igreja do Sacre Coeur, na Gare do Luxemburgo, pelas 19:30, muito em especial para aqueles que não podem subir a Wiltz. Depois no dia 30 subiremos juntos, como diz o cântico: “Subiremos montanhas sagradas”, revelou, ao LUX24, Sérgio Mendes, padre na paróquia de Notre-Dame do Luxemburgo com a responsabilidade da comunidade lusófona.

O padre Sérgio Mendes, o segundo à direita, na peregrinação de 2018 – FOTO: CATHOL.lu

Como habitualmente, são esperados milhares de portugueses, cabo-verdianos e outros cidadãos lusófonos, mas também muitos luxemburgueses, num ambiente de fé, devoção, convívio e amizade.

“Batizados e enviados” é o tema da 52ª peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Wiltz.

Tal como em anos anteriores, a organização da peregrinação apoia um projecto social. “A verba angariada será entregue ao bispo convidado que depois saberá como usar na sua própria diocese”, disse o padre Sérgio Mendes.

 

“Em Wiltz sentimos o perfume de Fátima”

 

Natural de Vila Nova de Tazem, freguesia do concelho de Gouveia, diocese da Guarda, o padre Sérgio Mendes recorda o primeiro contacto com o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Wiltz.

“A primeira vez que estive em Wiltz, em 2012, fui convidado a pregar (acho que foi a primeira vez que pregou um padre, até então vinham Bispos) não sabia bem o que era, diziam-me ser a festa dos portugueses no Luxemburgo. Dizia-me o senhor bispo Jean Claude-Hollerich: “Os portugueses vão comigo à oitava de Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos, na Catedral e eu vou com eles a Wiltz, a Nossa Senhora de Fátima”. Devia ser algo muito importante, só podia, pensei. Pude comprovar a multidão que se agraga pelo mesmo motivo”, recorda o padre Sérgio Mendes, hoje com 45 anos de idade.

Peregrinação a Wiltz – FOTO: CATHOL.lu

“De facto subir a Wiltz é como subir à montanha onde estamos mais próximos de Deus, e nós portugueses sentimos como se o perfume que paira no ar nos lembra um certo aroma de Fátima. A saudade e a distância que trazemos no peito neste dia é agraciada e sentimo-nos um pouco mais próximos. É a oração e a fé que tranquilizam o nosso coração e a proximidade com Deus a sentimos por Maria. Se a vida de emigrante tem as suas dificuldades neste dia sentimos um pouco o carinho da Mãe que vela por nós e nos pega ao colo. Ir a Wiltz é pedir o colinho à Mãe”, engrandece o pároco.

“Este ano pela minha oitava vez lá irei juntar-me à multidão dos filhos que querem pedir o colinho à Mãe. Junto com os peregrinos que vão a pé, com os que sobem para sentirem a proximidade vamos todos este ano uma vez mais e desta vez pedir à Mãe que nos ajude a sermos e assumirmos que todos somos: “Batizados e enviados”. Vamos rezar à Mãe pelas nossas necessidades, dores, dificuldades. Vamos rezar à Mãe pelos pecadores, por todos nós, pelos que não conseguiriam subir lá cima, pelos que ficaram pelo caminho…vamos que esta vontade de se colocar a caminho é apenas o primeiro passo”, apelo o padre Sérgio Mendes, em declarações ao LUX24.

Saiba aqui todo o programa e informações sobre a 52ª peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Wiltz.

Peregrinação a Wiltz – FOTO: CATHOL.lu

A origem do Santuário 

Segundo a Igreja Católica Luxemburguesa, o santuário de Wiltz tem a sua origem na promessa feita por um grupo de fiéis em torno do padre luxemburguês Prosper Colling, quando a cidade estava a ser bombardeada pelas tropas nazis, durante a Batalha das Ardenas, em janeiro de 1945. O monumento que inclui um relevo da Virgem Maria que estica os braços sobre os 180 nomes vítimas da guerra, gravados em granito, é um testemunho de gratidão e lembrança para aqueles heróis que lutaram para proteger a nossa paz e liberdade.

Nos meados do século passado, com a chegada ao Luxemburgo de muitos imigrantes portugueses, o Santuário de Wiltz tornou-se um símbolo da sua terra natal, e aos pés da imagem de Nossa Senhora de Fátima, ainda hoje vêm em busca de paz e consolação.

O monumento com suas arcadas semicirculares abertas convida-nos a não nos fecharmos sobre nós mesmos, mas a viver juntos, com uma mente aberta, um espírito de reconciliação e de paz. Hoje o Santuário «Op Bessessent» tornou-se um lugar que respira a paz; um lugar onde pessoas de diferentes línguas e culturas se encontram e se reúnem para rezar.

Uma estela inaugurada em 2015, durante a comemoração do 70º aniversário da promessa feita pelo padre Prosper Colling recorda-nos a grande intenção de oração que todos carregamos em nossos corações: «Que a paz reine sobre a terra».”

Publicidade