A OGBL foi o grande vencedor das Eleições Sociais 2019 nas delegações das empresas bem como nos oito grupos sócio-profissionais em que apresentou candidatos para a Câmara dos Assalariados (Chambre des salariés, CSL). Mas analisemos melhor os resultados, sector por sector. Hoje, os setores da Alimentação e Horeca (Hotelaria e Restauração), e da Aviação Civil.

Setor da Alimentação e Horeca

No sector da Alimentação e da Horeca (Hotelaria e Restauração), a OGBL, e os seus candidatos e militantes defenderam bem a sua posição de sindicato n°1.  Neste sector, a OGBL elegeu 63 delegados efetivos 52 delegados suplentes, um resultado satisfatório e que o nosso sindicato interpreta como um incentivo a continuarmos ops nossos esforços para obter melhores condições de trabalho e de salário nos próximos cinco anos

Na restauração coletiva (serviços de cantina em empresas), a OGBL recebeu mandato de negociar uma convenção coletiva de trabalho para os 3.500 trabalhadores do setor, e o nosso sindicato pediu à FEDIL-Catering de aceitar o convite para a mesa das negociações.

Entretanto, a OGBL pediu também aos responsáveis da Horeca para se prepararem a negociar connosco acordos para os 18 mil trabalhadores do setor hoteleiro, restauração e cafés, e lamenta que estes estejam sempre a queixar-se, como foi, por exemplo, o caso de François Koepp, secretário geral da Horeca, na última assembleia geral, no final do mês de março.

Sobretudo, nas grandes cadeias hoteleiras, onde os trabalhadores trabalham em condições muito difíceis, é urgente encontrar soluções através de convenções coletivas. O capital de uma empresa são os seus trabalhadores e quando estes são valorizados, isso tem um impacto imediato na qualidade do serviço.

O resultado das eleições para as delegações do pessoal nas fábricas de cerveja Brasserie de Luxembourg e Brasserie Nationale, ou de refrigerantes, como a Coca Cola Luxembourg, na tabaqueira Heintz Van Landewyck, no matadouro Coboulux e no Casino 2000, de Mondorf-les-bains, foi muito positivo para a OGBL e isso motiva-nos para continuar a defender os interesses legítimos dos trabalhadores. Lamentamos que o número de listas não-sindicais (ou patronais) tenha voltado a aumentar, apesar de ser facto notório que esses delegados não podem defender os trabalhadores na sua empresa, nem estão habilitados a negociar uma convenção coletiva de trabalho (CCT), para a qual é necessário, recorde-se, estar ligado a um sindicato com representatividade nacional.

O combate da OGBL por melhores condições de trabalho e salariais vai continuar neste setor em que os trabalhadores são frequentemente remunerados com o salário mínimo.

Setor da Aviação Civil

Na Aviação Civil, a OGBL insurge-se contra a política desleal e pouco democrática do LCGB, que apresentou duas listas com nomes diferentes, uma sob o seu próprio nome e outra denominada LCGB-SEA, e isto tanto na Cargolux como na Luxair. Era difícil a OGBL não perder terreno nessas duas empresas.

 

 

Na Cargolux, a OGBL conseguiu manter os seus 6 mandatos. No entanto, na Luxair, em que pela primeira vez o pessoal de voo apresentou uma lista distinta sob as cores do SEA, perdemos quatro mandatos.

Para a OGBL, é óbvio que a tática do LCGB nos últimos anos de distinguir entre pessoal de voo (pilotos) e pessoal do handling (no aeroporto) é uma chapada a todos os trabalhadores das duas companhias. Pelo contrário, nós, na OGBL, continuamos a lutar para representar todo o pessoal, sem distinção alguma, e esperemos que os trabalhadores saibam reconhecer quem os defende melhor.

Noutras companhias de aviação civil, o balanço é positivo para a OGBL. Na Panalpina, em que o número de trabalhadores recuou muito e onde era necessário eleger apenas 5 delegados, a OGBL manteve os seus 3 mandatos. Ressalva-se aqui outro pormenor: os delegados eleitos em “listas brancas” apresentaram-se como membros da OGBL.

Na LuxAiport, apesar de uma campanha dura do LCGB, os candidatos da OGBL bateram-se bem e dominaram largamente os candidatos adversos. O nosso último delegado suplente tem mais votos que o primeiro delegado eleito do LCGB, o que faz com que a OGBL tenha ganho 4 dos 6 mandatos.

Por último, sublinhe-se que o único delegado efetivo e o único delegado suplente eleitos na China Airlines o foram em nome da OGBL.

___________________________________

Agenda:

– 27 de abril, 17h00-19h00, Pétange: Comício político nacional da OGBL para celebrar o 1° de Maio (Meeting National). Local: Centro Desportivo Bim Diederich, em Pétange (30, rue Pierre Hamer). Há parque de estacionamento no local e um autocarro vai fazer a ligação entre a gare de Pétange e o local do comício, entre as 16h30 e as 19h30.

 

– 29 de abril, 18h00, Bonnevoie: Conferência-debate (em francês e inglês, com tradução simultânea) sobre o Ghana-Luxembourg Trust e o desenvolvimento sustentável justo. Com: Mahutar Abla, representante da República do Gana; Paulette Lenert, ministra da Cooperação do Luxemburgo; Nicolas Schmit, ex-ministro do Trabalho; Jean-Claude Reding, presidente da Câmara dos Assalariados (CSL),  Conny Reuter, secretária-geral da Solidar; Christopher Lilyblad, moderador. Local: CSL-Câmara dos Assalariados (63, rue de Bonnevoie, na cidade do Luxemburgo).

 

– 1 de maio, 10h00-18h00, Grund: Festa do 1° de Maio, Dia do Trabalhador com uma grande festa das culturas: grupos musicais, espectáculos, exposições, teatro, stands gastronómicos, ateliers infantis, animações, etc. Local: Abadia de Neumünster, Luxemburgo-Grund.

 

=> A OGBL explica e informa. A OGBL é a n°1 na defesa dos direitos e dos interesses dos trabalhadores e dos reformados portugueses e lusófonos. Para qualquer questão, contacte o nosso Serviço Informação, Conselho e Assistência (SICA), através do tel. 26 54 37 77 (8h-17h) ou passe num dos nossos escritórios: 42, rue de la Libération, em Esch-sur-Alzette; 31, rue du Fort Neipperg, na cidade do Luxemburgo; e noutras localidades. Saiba onde se situam as nossas agências no Grão-Ducado e nas regiões fronteiriças em www.ogbl.lu.

Publicidade
Este conteúdo é patrocinado.