Um dia depois da prisão de Julian Assange, fundador do Wikileaks, esta quinta-feira (11) em Londres, a imprensa internacional está a dar conta da libertação de novos ficheiros confidenciais na página Wikileaks.

A plataforma de partilha de ficheiros confidenciais libertou centenas de novos documentos associados, onde aparece um relatório da PJ referente à investigação do desaparecimento de Madeleine McCann em Portugal.

Na lista agora divulgada há ainda a entrada de ficheiros referentes aos atentados de 11 de setembro.

Assange foi detido após ter sido retirado pela polícia britânica da embaixada do Equador, em Londres, onde esteve exilado quase sete anos.

Os advogados de Julian Assange afirmam que a prisão do fundador do WikiLeaks abre um precedente que pode prejudicar a liberdade de imprensa.

Publicidade