Os trabalhadores da recém falida empresa de construção civil B2TP LUX reuniram esta quarta-feira (13) com a central sindical OGBL.

Cerca de 20 operários que vão para o desemprego aproveitaram para transmitir a sua situação pessoal ao sindicato.

Em causa estão os problemas salariais, que se começaram a desde outubro de 2018. Parte do salário de janeiro, o mês de fevereiro e o prémio de final de ano estão em atraso.

Depois da falência da empresa, e tal como é habitual nestas situações, os operários que caíram no desemprego poderão receber no máximo uma indemnização equivalente a seis vezes o salário mínimo não qualificado.

A falência da B2TP LUX foi declarada no passado dia 7 de março.