O Luxemburgo foi um dos países da União Europeia que fechou o espaço aéreo aos Boeing Max 8, na sequência do acidente que vitimou 157 pessoas este domingo de manhã na Etiópia.

A Direção da Aviação Civil do Luxemburgo informou que “face às circunstâncias do acidente na Etiópia”, decidiu “como medida de precaução”, proibir voos comerciais dos Boeing 737 MAX “de ou para” território luxemburguês.

O Luxemburgo foi um dos muitos países que interditaram o avião nos seus espaços aéreos, uma decisão que forçou a Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) a “suspender todos os voos que pudessem ser operados por estes dois modelos da empresa Boeing”.

Para além dos países da União Europeia, também a China, Austrália, Singapura e Coreia do Sul seguiram o exemplo.