Laura Zuccoli e Sérgio Ferreira apresentaram em conferência de imprensa as propostas da ASTI. Foto: ASTI

 

A Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI) quer colocar em debate a questão da integração dos mais de 48% dos estrangeiros na vida política do Luxemburgo.

A menos de um mês para as Legislativas de 2018, Laura Zuccoli e Sérgio Ferreira apresentaram em conferência de imprensa as propostas da ASTI.

A organização lamenta que “questões de identidade” – especialmente relacionadas com a língua luxemburguesa -, habitualmente assunto da extrema direita, são agora “mainstream”.

A ASTI denuncia que as próximas eleições legislativas sejam uma espécie de “corrida pelo melhor patriota” e, relembra os partidos políticos, que os cerca de 48% de residentes “estrangeiros de hoje serão os luxemburgueses de amanhã”.

A associação elaborou uma lista de sugestões, para melhorar a participação política dos não-luxemburgueses, como o direito de voto baseado no lugar de residência e não na nacionalidade, que os partidos políticos comuniquem nas línguas oficiais do país e a revogação da exigência de residência de cinco anos no país para votar nas eleições municipais.