A taxa de emprego aumentou, no segundo trimestre do ano, 1,5% na zona euro e 1,4% na União Europeia (UE) em termos homólogos e Luxemburgo teve um dos maiores aumentos em cadeia (-0,9%), divulga o Eurostat.

Segundo um boletim hoje divulgado pelo gabinete de estatísticas da UE, na comparação homóloga a taxa de emprego subiu, face ao segundo trimestre de 2017, 1,5% na zona euro e 1,4% na UE.

Já na comparação com o período entre abril e junho, o número de pessoas com emprego subiu 0,4% quer nos países da moeda única quer no conjunto dos 28 Estados-membros.

Em termos homólogos, Malta (5,5%), Chipre (4,3%), Luxemburgo (3,8%) registaram as maiores subidas na taxa de emprego entre julho e setembro, tendo havido uma diminuição, na Roménia (-1,5%). Na comparação homóloga, a taxa de emprego aumentou 2,1% em Portugal.

Face ao primeiro trimestre, a Estónia (1,3%), a Polónia (1,2%) e Chipre (1,0%) apresentaram as maiores taxas de crescimento do emprego, tendo sido registadas quebras em Portugal, na Letónia e Roménia (-0,3% cada) e na Bulgária (-0,2%).

Publicidade